Vamos liberar nossas cargas emocionais negativas?

Já pararam para pensar que se deixarmos nossa casa, mesmo que fechada se não limparmos, o acúmulo de sujeira será inevitável e incontrolável?

Uma camada de pó surgirá com certeza. O odor ficará diferente, tanto nos ambientes quantos nos armários. Insetos podem surgir e tomar conta, vegetação cresce.

Toda casa precisa de limpeza diária. O mesmo se dá com nossa mente e nossos sentimentos.

Desde muito jovens recebemos uma série de comandos equivocados sobre como lidar com nossos sentimentos. Em muitos casos sequer temos orientação, não sabemos identificar sua origem e acabamos criando comportamentos compensatórios.

Por exemplo, uma criança que sofreu abusos pode compensar tendo uma alimentação desregrada, resultado em obesidade. A questão que as pessoas focam é apenas o ato de comer, não se questionam sobre o por quê do desequilíbrio, que tipo de caminhos nossa mente encontrou para lidar com a situação e a energia negativa impregnada em nós.

Um parto violento deixa marcas muito fortes nas mulheres, deixa feridas que podem levar algumas a ficarem enlutadas por anos.

E em alguns casos não precisa nem ser violento, basta não ser conforme planejado. Se a mulher idealizar um parto nos mínimos detalhes e ele fugir do script o sentimento de culpa, mágoa, rancor podem surgir com força e contaminar os pensamentos, criando uma cascata de sentimentos negativos.

Assuntos pessoais mal resolvidos pode influir no trabalho de parto e no puerpério. Por isso eu saliento que parto é aprendizado e portal de cura. É um momento que total entrega e descontrole, onde um copo d´água, vindo de quem for é recebido com extrema gratidão.

O pós parto exige cuidados e se a mulher não contar com uma rede de apoio, que a ampare inclusive mentalmente, sentimentos negativos podem se fazer presentes.

Esses sentimentos podem não ter origem diretamente no parto, mas podem estar escondidos por anos. Mágoas antigas que se projetam numa situação presente, por isso é vital que a mulher faça uma análise sincera dos seus sentimentos, de como reage a eles, sua convivência com outros. É difícil? É extremamente exigente? É controladora ao extremo?

Esse mecanismo protetivo e compensatório tem origem onde?

É esse ponto que precisa ser trabalhado. Entrar no trabalho de parto limpa, bem resolvida, com o sentimento de gratidão presente independente do desfecho.

Parto leva as mulheres a uma alteração psíquica importante. De meninas se tornam mulheres.

Agora a questão mais importante é:

Como fazer essa limpeza mental? Como manter nossos pensamentos limpos, perfumados, iluminados e arejados?

Precisamos primeiramente identificar a origem deles que muitas vezes remonta a infância. Ficar de cara com toda a poeira e resignificá-la, tirando toda a carga negativa contida em tais emoções.

Você não é seus pensamentos e sentimentos. Você não é muito nervosa, muita rancorosa, muita ansiosa. Esses sentimentos não são você, estão presentes em seu ser, o que é bem diferente!

A dor no nosso mundo é inevitável, mas sofrer é uma questão de escolha, de sabermos lidar com nossos sentimentos.

Os sentimentos negativos advindos de traumas que são registrados em nosso campo emocional, energético, meridianos, células todos ficam impregnados em nós, como uma bagagem extra.

Cabe a nós no decorrer da vida nos livrarmos dessa bagagem. Muitos passam a vida carregando um saco de batatas podres nas costas sem se darem conta.

Com a limpeza e cura diária podemos ir nos livrando de cada carga negativa, uma a uma.

Nossa essência é luz. Alegria, felicidade, paz interior habitam em nós e não podem ser removidos por nenhuma técnica. O que acontece é que os sentimentos negativos agem como uma poeira, impedindo que os sentimentos positivos se manifestem.

Temos o controle para limparmos nossa carga emocional e renovarmos nossa karma e nos libertarmos de situações negativas de repetição.

Muitas mulheres tem dentro de si impactos de sentimentos de rejeição, que apoiam a crença do não merecimento.

Você luta por um parto respeitoso mas internamente não se acha merecedora e pode criar inconscientemente situações de auto sabotagem.

Reagimos negativamente as situações e acabamos no círculo de negatividade e situações repetidas.

 Abaixo segue a técnica bem simples para a liberação de energias negativas e alcance de paz pessoa.

 1. Faça uma lista, tentando lembrar-se de todos os eventos (ou de grande parte deles) que tenham sido desagradáveis para você. Seja prolífico(a) e enumere mais de 50, pois todos nós somos vítimas de inúmeros eventos traumatizantes, sem exceção, e com certeza temos mais de 50 eventos desagradáveis.

2. Ao enumerá-los, pode ser que alguns eventos não tragam emoções muito fortes nem desconforto. No entanto, pelo mero fato de você ter se lembrado do evento, algo diz que pode haver alguma emoção escondida aí. Não os menospreze.

3. Dê um título a cada evento, como se fossem pequenos filmes em si.

4. Comece a aplicar a EFT nos eventos de maior peso. Trabalhe evento por evento, sempre avaliando e tentando chegar ao nível 0, ou pelo menos até o ponto de você não considerá-lo mais e até chegar a rir dele.

5. Trabalhe em pelo menos um evento (ou filme) por dia, mesmo que por apenas cinco minutos. Se depois da aplicação da EFT o problema ainda apresenta peso emocional, continue trabalhando-o nos dias seguintes até que ele possa se esvaecer. Seja paciente e somente passe para um novo evento quando tiver praticamente zerado o anterior.

6. Esteja atento(a) na eventualidade de aparecer algum aspecto diferente e considere-o um outro item, ou no caso, um filme, a ser tratado em separado. Da mesma forma, pode ser que surjam sub-itens a alguns dos problemas. Trate-os também de maneira individual.

7. Trabalhe no mínimo em um evento por dia, durante uns três meses. Isso levará apenas alguns minutos por dia e no espaço de três meses você poderá ter trabalhado em uma séria bastante extensiva de traumas. Note as mudanças que possam ter surgido em você, como, por exemplo, você se sentir bem mais calmo(a), seu corpo se sentir melhor, seus relacionamentos mais agradáveis e como grandes pesos parecerem não existir mais. Releia a lista e veja se aqueles eventos já se dissiparam. É sempre bom medir e notar conscientemente o progresso.

 Digamos que você tenha uns 100 itens a serem tratados. Não considere exagero, pois podemos e devemos enumerar todos os itens que nos aflijam, pequenos e grandes. Se os tratarmos na média de um por dia, em questão de três meses seremos outra pessoa.

Ainda não sabe que itens colocar na lista?

Enumere todos que vierem à cabeça. Desde o sentimento de culpa por ter comido um doce fora de hora, a vergonha que passou no dia que sujou as calças quando ainda tinha 10 anos até os traumas mais fortes.

 A fonte da técnica está aqui. Para quem deseja conhecer mais sobre a criação e aplicação da EFT (Emotional Freedom Techniques) acessem aqui.

Temos um poder incrível de cura e libertação. Parir com clareza de emoções e sentimentos proporcionará um equilíbrio pessoal, força e garra para a transição de menina para mulher.

Por um parir e um viver em paz.

Namastê ❤

Anúncios

Estou grávida. Quero parir. E agora?

Elis Freitas Fotografia
Elis Freitas Fotografia – Evilyn

“Você precisa de informação. Informação é tudo, é poder.”

Certo. Você compreendeu que para fazer qualquer escolha, ainda mais referente a via de parto é necessário informação. Mas onde consegui-la? E como filtrar o joio do trigo?

Quando descobri que estava grávida, me vi perdida. Queria parir, mas como parir? Chegando na consulta e pactuando com o médico? Mas pera lá! Não quero parir como minha mãe, vitima de inúmeras violências.

Como faço?

Entrei no google e comecei a pesquisar, onde parir em Campinas. Encontrei um relato antigo de uma mulher de Americana que pariu no CAISM. Chorei, foi tão respeitoso. Ela ficou numa sala com uma penumbra apenas. Marido participou, cortou o cordão.

Terminou, tomou banho, comeu e ficou aninhada com seu filho. Pronto! Era isso que eu queria!

Inocente liguei para o telefone do site.O médico que assistia os partos não estava mais lá e tudo aquilo tinha acabado. Fiquei triste e desolada. E agora?

Minha amiga e doula que pariu em casa me acolheu e me guiou nessa busca. E assim, nos meses seguintes sorvi cada gotinha de informação. Embora não pudesse frequentar os grupos por conta do trabalho, lia bastante e participava deles virtualmente.

Foi essencial. A informação, a comunhão com outras mulheres que passavam pelo mesmo processo despertou uma força que eu sequer imagina existir.

Como sou de Campinas SP, vou fazer um passo a passo sobre como se manter atualizados e informados deixando contatos dos grupos presenciais daqui. Ferramentas essenciais para a busca e conquista do parir.

Grupos virtuais

Em Campinas temos alguns grupos virtuais, mas o mais expressivo é o Parto Humanizado Campinas e Região.

Ele tem um arquivo grande de informações e relatos de parto. Usem o recurso da lupa para pesquisas. Ali você encontra depoimentos importantes de mulheres sobre atendimentos.

Procura um médico humanizado? Não tem certeza se o seu é? Além de consultar as taxas de cesariana fornecidas pelas operadoras, você pode colocar o nome dele(a) na lupa e ver a experiência de outras mulheres.

O link é:

https://www.facebook.com/groups/partohumanizado1/?fref=ts

A luta não para no parto. Apenas se inicia, portanto recomendo fortemente que vocês façam parte de grupos de amamentação também.

O GVA (Grupo Virtual de Amamentação) tem 28 mil membros. É incrível! Bem organizado e claro. Façam parte!

https://www.facebook.com/gvamamentacao?fref=ts

 

Grupos presenciais em Campinas: (Seguem em ordem alfabética)

  •  Arte de Nascer

Rua Luiz Smânio, nº 944 / Bairro: Jar4dim Chapadão/ Campinas SP.

  • Espaço Dar a Luz

Rua Rua Roge Ferreira / Campinas SP/  Fone: 3251-8137

  • Espaço Mulheres Empoderadas

Rua Clodomiro Franco de Andrade Jr, 597 /Jd do Trevo/ Campinas, SP.

  • Samaúma

Espaço Sabiah

Rua Paulo Lanza, nº 91 / Barão Geraldo / Campinas SP.

  • Vínculo

Espaço Pitanga

Rua Gonçalves César, nº 86 / Guanabara / Campinas SP.

De todos os grupos postados fui ao Samaúma e ao Espaço Mulheres Empoderadas. Grupos são assim, existem vários, mas você vai sentir o qual terá mais afinidade.

O Vínculo tem uma biblioteca bacana. Por um valor pequeno é possível ficar com 15 dias com um livro e renová-lo por mais 15 dias.

Dicas de livros:

Parto Ativo

Janet Balaskas

Esse livro é essencial para nosso auto conhecimento. Nós sabemos parir, havendo mobilidade e liberdade instintivamente encontraremos a melhor posição, o que não invalida a leitura desse belo livro.

A maternidade e o encontro com a própria sombra

Laura Gutman

Livro delicado que lida com nossas descobertas e sentimentos ambíguos depois que parimos. Sua leitura para mim foi um bálsamo, libertadora. Recomendo.

Parto com Amor

Luciana Benatti

Revela a trajetória percorrida por nove mães – entre elas a autora – para conquistar o parto desejado. Seus medos, fraquezas e dificuldades estão aqui expostos da mesma forma simples e sincera com que suas alegrias e vitórias são compartilhadas. O instante do nascimento, as horas que o antecederam e os primeiros momentos de vida do bebê são eternizados em fotos que transbordam emoção.

Dica de Filme:

 O Renascimento do Parto

O filme “O Renascimento do Parto” retrata a grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. Tal situação apresenta sérias consequências perinatais, psicológicas, sociais, antropológicas e financeiras. Através dos relatos de alguns dos maiores especialistas na área e das mais recentes descobertas científicas, questiona-se o modelo obstétrico atual, promove-se uma reflexão acerca do novo paradigma do século XXI e sobre o futuro de uma civilização nascida sem os chamados “hormônios do amor”, liberados apenas em condições específicas de trabalho de parto.

 Humanização no Facebook:

Melania Amorim

Melania nos presenteia diariamente evidências a favor no parto natural. Chega de medo, de histórias tristes, na página dela é ciência que conta.

https://www.facebook.com/melania44?fref=ts

Blog da Melania

estudamelania.blogspot.com.br

 Ana Cristina Duarte

Por ela mesma: Obstetriz pela Universidade de São Paulo, Bióloga pela USP, escritora, ativista pelo direito de todas as mulheres a um parto digno, mãe de dois adolêsr ela mesma:

https://www.facebook.com/DuarteAnaCris?fref=ts

 Divas Parideiras

https://www.facebook.com/divasparideiras?fref=ts

Página onde é possível encontrarmos vários relatos de mulheres que lutaram e pariram. Uma delícia ver as atualizações na timeline. Ocitocina pura!

Cesárea não, obrigada!

https://www.facebook.com/groups/cesareanao/?fref=ts

Esse é um apanhado para vocês terem um ponto de partida. Saiba que nessa caminhada não faltará apoio.

Mas é preciso dar o primeiro passo. Não adianta deixar a decisão para parir nas mãos de Deus ou do médico. O parto é seu. Sempre.